Num istmo entre a Laguna dos Patos e o Oceano Atlântico, na península litorânea do Rio Grande do Sul, encontra-se o município de Mostardas. Região que tem na gastronomia um dos seus pontos altos com os deliciosos biscoitos caseiros, doces, licores artesanais, o camarão, o arroz e ainda a famosa carne ovina.

Farol Cristóvão Pereira – Mostardas / RS – Foto Ieda Funari

Em 18 de janeiro de 1773 foi criada a Freguesia das Mustardas, sobre a invocação de São Luiz Rei da França. A Igreja Matriz São Luiz Rei de França foi inaugurada em 08/12/1773, construída em estilo barroco, com altar mor no estilo neoclássico, datado de 1817, é uma das cinco igrejas construídas neste estilo no Brasil. O altar-mor, no estilo neoclássico foi trazido da França e montado por um artesão francês em 1817.

Cobertor Mostardeiro – Fia – Mostardas / RS – Foto Mario Celso

Colonizada por casais vindos do Arquipélago dos Açores, Mostardas guarda ainda os hábitos e costumes desse povo, que se faz notar nas fachadas do Casario, nas ruas estreitas, na gastronomia e na formação religiosa. Afro pela influência negra, os africanos que aqui chegaram escravizados, tem hoje seus descentes em três comunidades quilombolas (Casca, Beco dos Colodianos e Teixeiras), as quais guardam a memória, a história e a cultura deste povo, contada de forma oral pelos griôs e pelas benzedeiras. 

Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Teixeiras – Foto Rogério de Souza Vieira

A religiosidade é expressada pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, tambor, pandeiros e pequenos reco-reco (caninha) marcam o ritmo dos Quicumbis no Ensaio de Pagamento de Promessa, passada de geração em geração. Na gastronomia pelo Feijão Sopinha e pelo famoso Espinhaço de ovelha ensopada. 

Irmandade de N.Sra. do Rosário dos Teixeiras – Mostardas / RS – Foto Jorge Amaro

Nesta região, que parece ser uma planície sem fim, você encontra ainda dunas intocadas, campos a perder de vista, alguns cobertos de arroz ou soja, rebanhos ao pasto, florestas cultivadas e mata nativa, tudo em abundância e convivendo em harmonia.

Parque Nacional da Lagoa do Peixe – Mostardas / RS Foto Ieda Funari

Os faróis que nos levam as suas belezas

Os faróis, ao longo da história, se caracterizaram como fator de segurança e orientação e hoje nos levam a caminhar em busca de suas belezas.

Farol Cristóvão Pereira – Mostardas / RS – Foto Ieda Funari

A quarenta e cinco quilômetros do centro de Mostardas nas margens da Laguna dos Patos no distrito do Rincão do Cristóvão Pereira encontra-se um dos mais antigos faróis da região datado de 1886, com sua torre quadrangular e pedras em volta o Farol Cristóvão Pereira destaca-se com uma imagem digna de um castelo.

E para guarnecer a orla marítima, o Farol da Solidão, na Praia da Solidão cerca de setenta e cinco quilômetros do centro da cidade. Construído em 1929 sua arquitetura é totalmente brasileira em forma de torre cilíndrica, tem como destaque sua paisagem exuberante e admirável.

Farol Cristóvão Pereira – Mostardas / RS – Foto Ieda Funari

Mostardas é famosa pelas pescarias amadoras e esportivas

Com cerca de cem quilômetros de praia salgada e seis balneários, Coqueiros, Balneário Mostardense, Pai João, Porto dos Casais, São Simão e Farol da Solidão. Com esta costa conhecida como cemitérios dos navios pela quantidade de navios que encalhavam por aqui, Mostardas é reconhecida pelas suas praias, famosas pelas pescarias amadoras e esportivas. Ao falarmos que somos daqui, sempre tem algum conhecido que relata uma experiência de pescaria por estas bandas.  

Praia do Coqueiro – Mostardas / RS – Foto Ieda Funari

A pesca artesanal é uma das atividades desenvolvida pelas comunidades tradicionais nesta região. Sempre há em suas redes papaterras, pescadinhas, tainhas, o camarão 7 barbas e balaios abarrotados de marisco. Nossos pescadores encantam nossas praias com seus carros velhos, normalmente revestidos de madeiras, chamados carinhosamente de Fubicas. Praias tranqüilas, com vertentes limpas que deságuam no mar ou barrinhas como são conhecidas na região.  

Mostardas tem em toda a sua extensão cerca de cem quilômetros da Laguna dos Patos ainda in natura, conhecido apenas por moradores, velejadores e trilheiros. O farol do Cristóvão Pereira, o Porto do Barquinho, a Caieira e o Pontal do Mina são os pontos conhecidos e os demais são ainda inexplorados.

Praia do Coqueiro – Mostardas / RS – Foto Ieda Funari

Lagoa Bacupari, água cristalina e paisagem de dunas e matas nativas 

Com águas calmas e cristalinas a Lagoa do Bacupari ou Lagoa Azul tem sido o destino de quem gosta de sossego ou queira apenas colocar a cadeira de praia na água e ficar só com o pé de molho admirando a paisagem de dunas e matas nativas.

Conhecida pelas águas rasas e cristalinas, onde é possível se andar muitos metros com água abaixo da linha da cintura, propício para mergulhos em família. Atraem também os amantes de esportes náuticos sem motor, como caiaque, stand-up e paddle.

Vista aérea da Lagoa do Bacupari – Mostardas / RS – Foto Mário Celso Souza de Andrade

O melhor cordeiro e seu famoso cobertor mostardeiro

Mostardas é reconhecida pelos seus cordeiros, uma iguaria pouco conhecida e chamada aqui de Cordeiro Salineiro. O cordeiro mostardense se diferencia das demais carnes de cordeiros de outras regiões. Considerada mais leve, com menor quantidade de gordura e mais bem distribuída, trazendo sabor mais suave e, segundo alguns, pré salgada. Estas diferenças se dariam principalmente em razão da influência dos ventos litorâneos que carregam a maresia aos campos nativos que os animais pastejam. A carne é semelhante a produzida na região da Normandia, na França, há denominação de origem para condições similares, o chamado “pré-sale”.

Cordeiro Salineiro Flor de Sal

Trazidos pelos açorianos que aqui chegaram, tradicionalmente produzido na Ilha Terceira nos Açores, o Cobertor Mostardeiro é reconhecido mundialmente. As artesãs mantêm vivas essa herança, pegam a lã crua, lavam, cardam, fiam manualmente e tecem nos seus teares os cobertores, ponchos e xergões, este símbolo cultural do município pela Lei Nº 2591 de 30/09/2009. Retornando as vendas no Quiosque Vó Sulina na praça central Prefeito Luiz Chaves Martins.

Cordeiro Salineiro Flor de Sal

Em 1990 foi realizada a primeira Ovearte, festa do município para a valorização e divulgação da cultura e economia local. A Ovearte veio para fortalecer os laços do homem do campo com a cidade, a feira do Ovino e do Artesanato em lã e com uma mascote que encanta a todos: a Bequinha.

Igreja Matriz São Luiz Rei – Mostardas /RS – Foto Miriam Cardoso de Souza

Até 1993, quando chegou o asfalto, Mostardas era conhecida como a “Estrada do Inferno” e muitos rallys trilharam pelas nossas estradas, porém mesmo com a vinda do asfalto, o turismo de off-road permanece mais vivo a cada dia. Jipes, motos e quadriciclos circulam pelos nossos pontos turísticos seguidamente.

Centro Histórico – Calçadão Chico Pedro – Mostardas / RS

Esta terra, com um céu de 180 graus, é uma das únicas do mundo onde se pode, no mesmo dia, ver o sol nascer no oceano e, sem esforço, vê-lo se por num mar de água doce, a Laguna dos Patos, tudo isso numa paisagem ímpar.

Mostardas também abriga a sede do Parque Nacional da Lagoa do Peixe.

Conteúdo: Verona Colares Nazareth – Turismóloga

Secretaria Municipal de Turismo e Cultura
Mostardas/RS

🔥3.2 K
close
A Promo Viajar Live contempla um Leitor e acompanhante com viagem à Capital dos Câniosn / SC.