Após o período de defeso dopinhão, que acontece em 1° de abril, inicia-se a colheita. Corajosos, muitos sobem até a pinha e fazem a coleta manualmente. Na maioria dos casos, a forma de colheita é tradição familiar, com uso de cordas, escadas ou outros utensílios que facilitam a colheita das sementes.

Localizado na Serra Catarinense, Painel, carrega a responsabilidade de colocar Santa Catarina como segundo maior produtor de pinhão do país. Com uma população em torno de 2.300 habitantes, dezenas de famílias se beneficiam da colheita e venda da semente.

A cada ano o município produz milhares de toneladas que abastecem o estado, o país e o exterior. A semente é versátil; apreciada na gastronomia do sul do Brasil, é consumida de várias formas. A mais tradicional é na chapa do fogão a lenha, podendo ser consumido também cozido e utilizado em diversas receitas tradicionais, entre as mais conhecidas estão a paçoca de
pinhão e o entrevero.

Mas não para por aqui, o pinhão tem grande valor nutricional. 100 gramas fornecem quantidades significativas de minerais importantes, como o ferro, cálcio e fósforo, além de ser rico em calorias, sendo assim uma importante fonte de energia.

Com uma condição natural privilegiada, onde os rios são de águas frias e límpidas, Painel se destaca em outras produções, como a de maçã, mel e peixes, em especial a truta.

Por mais que se estimasse uma queda de produção em 2019 devido a fatores climáticos, a grande quantidade de pinheiros em Painel ainda foi capaz de produzir toneladas de pinhão que continuou a se fazer presente no inverno catarinense.

Foto Adailton Camargo
🔥43